sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

SÊ TU UMA BENÇÃO?



“de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!” (Gn 12:2 ARA)
É comum vermos em muitas igrejas (até mesmo em alguns folhetos) citações dessa passagem como se Deus estivesse pedindo para Abrão ser uma benção, mas, se observarmos o contexto, não é isso que o texto quer dizer. Todas as bênçãos ali vêm de Deus para Abrão, vejamos:
1: FAR-TE-EI uma grande nação (Deus fazendo);
2: e ABENÇOARTEEI (Deus, fazendo);
3: e ENGRANDECEREI o teu nome (novamente, ação de Deus);
4: e por último, sê tu uma benção, do hb. (bereikâ), a forma imperativa expressa uma consequência, ou seja, “e tu SERÁS uma benção”. O fato de Deus 1- fazer dele uma grande nação; 2- o abençoar; 3- e tornar grande o seu nome, fez dele uma benção. Isso é uma sequência lógica do texto. A ARC trás melhor este sentido, observe:

“E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e (por isso¹) tu serás uma bênção.” (Gn 12:2 ARC)
Ou seja, Abraão não teria que se tornar uma benção, Deus é que faria dele uma benção, e realmente Ele fez. O Senhor fez dele uma benção e o abençoou em tudo. (Gn 24:1; Gl 3)
Em resumo, ninguém pode ser benção por si mesmo, a única fonte eterna de bênçãos é Deus, e Ele tem dado destas bênçãos a todos aqueles que, pela fé, creem em Jesus Cristo, sEu Filho. Este é o único jeito de ser descendência de Abraão e herdeiro conforme a promessa (Gl 3:29). Por isso, “creia no Senhor Jesus Cristo e serás salvo.” (At 16:31)
“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo.” (Ef 1:3)

1- Observação do autor.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

A FORÇA DO PECADO É A LEI



"Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei." 1 Coríntios 15:56
Não tente vencer o pecado com a lei, a lei só vai deixar o pecado mais forte. Muitos desanimam diante de sua condição, buscam de todas as maneiras fazer o bem e praticar aquilo que é bom, até conseguem por um tempo, mas quando pensam que não, fracassam de novo. E por quê? Por que tentaram vencer a sua velha natureza com a lei, e é a lei que revela o pecado (Rm 7:7). A lei só mostra o quanto você é incapaz de satisfazer a vontade de Deus por seus próprios métodos.
Então, o que fazer? Vejamos:
As boas novas para os cristãos consistem na sua nova relação com a lei. A finalidade da lei é trazer condenação, mas "nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." (Rm 8:1)
A lei não tem mais poder sobre os cristãos, estamos mortos para a lei e livres dela (Rm 7:4, 8:2). Como já foi dito antes, a lei condena, mas Jesus Cristo já sofreu a condenação em nosso lugar, Ele fez o que nenhum outro homem foi capaz de fazer. E vivemos pela fé nEle, no Cristo, Filho do Deus vivo. Vivemos também sobre a influência do Espírito de Deus, que nos capacita e nos habilita a praticarmos aquilo que é bom (Ef 1:13, 14, 2:22). Isso não faz de nós seres perfeitos, não nesta vida; continuamos pecando, quebrando a cara e falhando, como diriam outros, grandes vacilões, metendo o pé na jaca de vez em quando. Porém, sabedores de que para nós, que estamos em Cristo, não há nenhuma condenação, o nosso Deus e Senhor já cravou na cruz toda cédula que era contra nós nas suas ordenanças (Cl 2:14), Ele nos deu paz com Deus por meio do seu sangue. (Rm 5:1)
Dito isto:
Estamos ainda sujeitos não somente aos problemas da vida, mas também ao pecado (1 Jo 1:8). Por isso, se você vier a pecar, filhinho, se entristeça sim pelo pecado cometido, confesse ele a Deus e o abandone, e saiba que "temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça." (1 Jo 2:1, 1:9)
"Eu pequei. E imediatamente depois,
Satanás voou para diante da presença do Deus Altíssimo.
E ali ele fez uma acusação injuriosa.
Ele disse: “Essa alma, coisa feita de barro e relva, pecou.
É verdade que ele carrega vosso nome.
Mas exijo sua morte, pois tu mesmo disseste:
“A alma que pecar, essa morrerá”.
Não será essa sentença cumprida? Está morta a justiça?
Envie agora essa alma pecadora a seu destino.
Que outra coisa pode fazer o justo juiz?”
E assim ele fez, me acusando dia e noite.
Toda palavra que ele disse, ó Deus, era verdade!
Então, rapidamente alguém se levantou da destra de Deus.
Diante dessa glória os anjos esconderam suas faces.
Ele falou: “Cada i e til da lei deve ser cumprido;
O pecador culpado deve morrer!
Mas espere, suponha que toda sua culpa fosse transferida para mim,
E eu tivesse pago a sua penalidade!
Veja minhas mãos, meu lado, meus pés! Um dia eu fui feito pecado por ele.
Morri para que ele pudesse ser apresentado sem culpa, diante de teu trono!”
E Satanás fugiu. Ele bem sabia que não poderia suportar tanto amor,
Pois cada palavra dita pelo meu querido Senhor era verdade!"

- Martha Snell Nicholson

POR QUE JESUS NÃO SE CHAMOU EMANUEL, CONFORME A PROFECIA DE IS 7:14? (título nosso)



A profecia a respeito do nascimento de Cristo veio de Isaías 7.14: "Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel". Por que, então, ele é chamado de Jesus?
Na realidade, à primeira vista isso parece uma enorme contradição, não é? A profecia no Antigo Testamento é de que seu nome seria Emanuel; quando vamos ao Novo Testamento eles não lhe dão o nome de Emanuel, mas de Jesus. Como explicamos isso?
Antes de mais nada, não vamos assumir a posição de que Isaías está radicalmente enganado. Se olharmos para a significação completa de sua profecia ficaremos maravilhados com a maneira detalhada com que a pro­fecia de Isaías se cumpre na vida de Jesus. Se olharmos dois capítulos adi­ante da profecia que fala sobre Emanuel, encontramos outra passagem fa­miliar que repetimos praticamente todos os natais nos nossos cultos.
Isaías diz que o Messias que iria nascer recebería o nome de Maravilho­so, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Quantos nomes ele tem? No capítulo sete, ele diz que seu nome será Emanuel, e no capítulo nove ele diz que será Príncipe da Paz ou Deus Forte ou Pai da Eternidade.
Portanto, em seu escrito, Isaías está chamando atenção para o fato de que o Messias teria inúmeros nomes. Ele não reduz os títulos de Jesus a um apenas, portanto, não creio que ele esteja usando a palavra “nome” para se referir ao nome de família, ou ao nome próprio de Jesus, mas está se referindo a um título muito importante que seria dado a Jesus, como de fato o foi. Emanuel é um de seus títulos no Novo Testamento — Emanuel, Deus conosco.
O nome Jesus foi dado a ele por Deus através do mensageiro evangélico que anunciou a escolha que o Pai fez para o nome do Filho, e ele é chamado Jesus porque esse nome significa “Salvador” — aquele que salvará o seu povo. Seu nome indica sua missão, seu ministério. Creio que um dos estu­dos mais fascinantes é percorrer as Escrituras e fazer uma lista dos nomes que são atribuídos a Jesus.
Certa vez compareci a uma reunião num seminário teológico na qual um teólogo suíço fez uma palestra. Numa situação acadêmica como essa, espera-se ouvir um trabalho teológico muito técnico, sofisticado e aborreci­do. Esse professor simplesmente ergueu-se diante da assembléia e come­çou a recitar os nomes de Jesus dizendo: “Alfa e Ômega, Filho do Homem, Leão de Judá, Rosa de Saron ...” Ele continuou durante quarenta e cinco minutos e não esgotou todos os nomes e títulos que o Novo Testamento atribui a Jesus, o homem que recebeu mais títulos na história.
- R. C. Sproul, (livro Boa pergunta, ed. Cultura Cristã)

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

JESUS CRISTO, A EXEGESE DE DEUS



"Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou." Jo 1:18

Quando queremos descobrir qual era a intenção e o significado original pretendido em um texto, fazemos um estudo cuidadoso e sistemático por meio da exegese; examinamos a fundo o seu sentido, com o fim de extrairmos o máximo de conteúdo possível da intenção original do autor no texto. Da mesma forma, a expressão e definição exata do Ser de Deus só pode ser encontrada em Jesus Cristo, foi isso o que João quis dizer no capítulo 1 do seu evangelho, mais precisamente no verso 18.

O apóstolo diz que o Pai foi revelado no Filho; a palavra "revelou" nesta passagem, na língua original, é "exegeomai", de onde vem a palavra exegese. Em outras palavras, João estava dizendo que Jesus era a Exegese de Deus. Como bem disse M. Henry:

"Ele (Jesus Cristo) declarou de Deus o que nenhum homem tinha visto ou conhecido em nenhum momento; não só o que estava escondido de Deus, mas o que estava escondido em Deus."

Jesus era a expressão de Deus de tal forma, que era capaz de dizer: "Quem me vê a mim vê o Pai." (Jo 14:9)

Jesus Cristo foi o Deus que se fez homem e habitou entre nós! (Jo 1)

Os fariseus não puderam O deter (bem que tentaram), os saduceus, muito menos; a cruz foi só uma vírgula; Ele morreu, mas ressuscitou; e na sua ascensão foi colocada uma reticências, pois...

"Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir." - A respeito disso: "Maranata!" (At 1:9; Ap 22:20)

"Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.

ELE É O RESPLENDOR DA SUA GLÓRIA e a REPRESENTAÇÃO EXATA DO SEU SER, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder e tendo feito a purificação dos nossos pecados, assentou-se à direita da Majestade nas alturas." Hb 1:1-3

Nisto se ouve o eco da reforma: Solus Christus!

sábado, 30 de dezembro de 2017

AMONTOANDO BRASAS DE FOGO SOBRE A CABEÇA DO INIMIGO



“Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” Romanos 12:20,21

Este conceito, original de provérbios (Pv 25:21,22), foi usado pelo apóstolo Paulo mais de mil anos depois (Rm 12:20), e, ao contrario do que muitos pensam, ele não tem nada a ver com brasas na cabeça de quem faz o bem (significando até mesmo avivamento, como alguns dizem), e sim sobre a cabeça daquele que RECEBE o bem.

Esta passagem não trás nenhuma ligação com avivamento ou renovo espiritual, mas sim com vencer o mal com o bem (v.21; Pv 25:15).

“Havia um ritual egípcio, de expiação de culpa, segundo o culpado se obrigava a caminhar pela cidade com uma bacia de carvões em brasa sobre a cabeça. Sendo assim, essa metáfora, especialmente na época de Salomão, podia ser compreendida perfeitamente: A bondade pode fazer o papel das brasas vivas na consciência de uma pessoa culpada, fazendo que ela se dobre a verdade e abrace a sensatez (Ex 23:4,5;; 2 Rs 6:21-23; 2 Cr 28:15; Pv 20:22)...” (nota da BKJA de Pv 25:21-22)

Jesus nos orienta a não somente amar os nossos inimigos, mas também a orar por eles (Mt 5:44). O testemunho carrega em si um poder muito forte de convencimento, aliás, uma fé sem obras é morta (Tg 2:17). Quando fazemos o bem a um inimigo, o fazemos repensar sobre os seus próprios feitos, inclusive sobre o mal que tem praticado contra nós, é neste sentido que as “brasas vivas” se acumularão sobre a cabeça dele. A boa ação para com o inimigo poderá fazer com que este venha a refletir sobre as suas obras, podendo vir assim a se arrepender de suas maldades, aplacando a sua ira e até mesmo ser alcançado pelo amor de Cristo, vindo a abraçar a fé através do bom testemunho de um cristão verdadeiro. “A resposta branda (ações brandas e de amor também) desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” (Provérbios 15:1)

“Brasa viva: Uma expressão proverbial que significa manter viva (por meio das boas ações que você faz ao seu inimigo) a lembrança do erro que ele cometeu contra você (que deve doer nele como se brasas vivas estivessem amontoadas sobre sua cabeça), para que ele se arrependa o mais rápido possível. Os árabes denominam coisas que causam fortes dores mentais como ‘brasas queimando na cabeça’ e de ‘fogo no fígado’.” (dicionário de Strong, G440)

A melhor maneira de se tratar um inimigo é fazer dele nosso amigo. Porventura, não foi exatamente isso que Deus fez por nós?!

“Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores (inimigos). Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados (feitos amigos) com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados (feitos amigos), seremos salvos pela sua vida.” (Romanos 5:8-10) 

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

AJUDANDO PARA SER AJUDADO: O Deus que supre os generosos.



Sabia que o egoismo é a causa de muitas pessoas não conseguirem prosperar na vida? Sabe aquelas pessoas mesquinhas que economizam, economizam e economizam, com o fim de satisfazer os seus próprios interesses, mas no final do mês nunca sobra nada, e nunca estão satisfeitas com aquilo que tem?! Então, um dos culpados disso é o egoismo e a falta de amor ao próximo. Veja o que as Escrituras dizem a respeito:

"Algumas pessoas gastam com generosidade e ficam cada vez mais ricas; outras são econômicas demais e acabam ficando cada vez mais pobres. Quem é generoso progride na vida; quem ajuda será ajudado." (Pv 11:24-25 NTLH)

Pessoas generosas, que gastam o que tem não somente para satisfazer os seus próprios interesses, mas também para ajudar ao próximo, são sustentadas por Deus e ajudadas por Ele, de uma forma tal que de nada virão a ter falta (Sl 23:1). Salomão disse que: "Ser bondoso com os pobres é emprestar ao Senhor, e ele nos devolve o bem que fazemos." (Pv 19:17 NTLH)

Quem ajuda ao necessitado empresta a Deus, e Deus não fica devendo nada a ninguém.

Não deseje o bem somente, mas aja! Mostre a sua fé pelas obras:

"Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: 'Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se', sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta. Mas alguém dirá: 'Você tem fé; eu tenho obras'. Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras." (Tg 2:15-18)

Muitos dizem que não contribuem, ou que não ajudam o próximo, por que são pobres, ou estão "apertados" em determinado mês. Estas pessoas deveriam se espelhar mais no exemplo daquela viúva pobre de Lucas 21, que mesmo sendo extremamente necessitada, não deixou de contribuir na casa de Deus, acumulando para si tesouros não na terra, mas no céu. (Mt 6:19-21)

Outro exemplo a ser seguido é o da viúva de Sarepta que, mesmo tendo apenas um pequeno bocado de farinha e azeite para alimentar não somente ela, mas também a seu filho, vindo depois disso a morrer, por não ter mais nada com o que se alimentar, ainda assim, usou o pouco que tinha para saciar a fome do profeta, o que fez Deus a suprir em todas as suas necessidades, durante o período de escassez que a terra estava passando naquela época. O SENHOR não supriu somente a necessidade física daquela mulher e de sua casa, como também ressuscitou o seu filho, que veio a morrer devido a uma enfermidade (1 Rs 17). Deus não deve nada a ninguém!

Deus supre as necessidades dos generosos:

A igreja de Filipos foi a única que abençoou o ministério de Paulo no tocante a dar e receber, depois que este partiu da macedônia (Fl 4:15). Alguns documentos paralelos informam que os filipenses contribuíram não apenas com uma parte do que lhes sobrava, mas até ao nível de empobrecerem. Porém, o apostolo deu a eles a garantia de que sua generosidade para com ele não passaria por despercebido aos olhos do Deus bondoso, que supre os generosos que, em nome dEle, auxiliam os necessitados. Paulo os encoraja dizendo: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus." (Fl 4:19)

Isso não significa que cristãos sinceros e generosos nunca passarão por momentos de apertos ou necessidades, o próprio apóstolo Paulo sabia muito bem o que era viver estes momentos, porém, a recomendação que ele nos dá é a de saber nos contentar com o que temos (Fl 4:11), e a certeza que ele nos garante é a de que o Senhor Jesus nos capacitará para passarmos por esses momentos difíceis, porque é dEle que vem a nossa força. (Fl 4:13, 14-19)

Sabe como o próprio e Todo-Poderoso Deus define religião?! Ele a define assim: "A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo." (Tg 1:27)

A falta de generosidade para com os necessitados, não somente é o motivo da pobreza (financeira e espiritual) de muitos, mas também da condenação: "Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos. Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram para beber; fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram’. Eles também responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos?' Ele responderá: ‘Digo-lhes a verdade: o que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo’. E estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna". (Mt 25:41-46)

Que Deus em Cristo Jesus lhe dê a capacidade de compreender esta verdade, para que assim, e somente assim, você possa praticar a verdadeira religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai. (Tg 1:27)

"E se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia. E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares áridos, e fortificará os teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam." (Is 58:10,11)

"Felizes são aqueles que ajudam os pobres, pois o Senhor Deus os ajudará quando estiverem em dificuldades!" (Sl 41:1)

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Exegese bíblica



EXEGESE BÍBLICA

(Compartilhe para ajudar a outros irmãos)

Vamos lá, pessoal. Todos sabemos a importância de uma boa exegese bíblica no preparo de estudos, sermões e etc., por isso, vou disponibilizar aqui alguns recursos online para que você possa fazer a sua exegese com um pouco mais de facilidade.

Infelizmente, não temos muitos recursos em língua portuguesa, porém, com uma noção básica de inglês, você já consegue desenrolar muita coisa. Aqueles que tiverem um pouco mais de dificuldade, podem usar com o google translate aberto, já quebra um galho.

Por exemplo:

Link 1: http://bibliaportugues.com/interlinear/genesis/1-1.htm - Neste link, lá na parte superior esquerda, você selecionará o livro que deseja fazer a exegese, depois, logo ao lado, na parte superior central, você selecionará o capítulo e o versículo que deseja, logo em seguida, o texto original irá aparecer, quer no hebraico, quer no grego, o versículo aparecerá nos originais, sendo que também aparecerá o versículo em inglês, com o seu significado logo abaixo do original, dai, é só clicar na palavra que deseja, e o seu significado será dado no original (em inglês), exemplo:

Selecione João 10:10, passagem onde Jesus fala que veio para que tenhamos vida em abundância, para fazer a exegese da palavra "vida" desta passagem no original, ache a palavra "vida" do versículo que aparecerá em inglês, logo abaixo do original grego, neste caso será "life" (use o google translate se tiver dificuldades), ao localizar a palavra "life", clique no número que aparecerá um pouco acima da palavra, neste caso será o "2222", será aberta uma página com a descrição dessa palavra no original, neste caso aparecerá assim (irei traduzir):

Tradução:

Original Word: ζωή, ῆς, ἡ - Palavra original
Part of Speech: Noun, Feminine - Parte do discurso: Substantivo, feminino
Transliteration: zóé - Palavra transliterada, ou transliteração
Phonetic Spelling: (dzo-ay') - Fonética, ou como se fala
Short Definition: life - definição curta: vida
Definition: life, both of physical (present) and of spiritual (particularly future) existence. - Definição: vida, tanto de existência física (presente) quanto de espiritual (particularmente futura) existência. (ou seja, Jesus veio para que tenhamos vida plena, tanto física, quanto espiritual, tanto nesta vida, quanto na porvir 'vida eterna'").

Use o google translate para traduzir, caso tenha dificuldade.

Mais abaixo, aparecerá ainda várias outras classificações dessa palavra, em outros versículos que ela é usada, por exemplo. Para saber o que ela significa em Jo 10:10, pressione ctrl+F e digite John 10:10, e a descrição dela neste versículo irá aparecer (novamente, use o google translate caso tenha dificuldade).

E assim por diante, é só selecionar o livro, capítulo e versículo que deseja traduzir e partir para o estudo.

Link 2: http://www.hebraico.pro.br/dicionario/qdrsdic.asp - Neste link, digite a palavra em português, e seu significado será dado no original hebraico. (somente em hebraico, ou seja, para exegeses feitas no AT).

Link 3: https://dosenhor.com - Neste link, podem ser feitas exegeses tanto do hebraico quanto do grego, pode ser digitado a palavra tanto em portugues, quanto no original ou até mesmo transliterada, caso você saiba, no canto superior direito, após digitar a palavra é só apertar enter que o significado dela será dado no original, as vezes o site não encontra a palavra, ai tente digitar de outra maneira, por exemplo, se quiser saber o significado de alma, ou folego de vida, conforme se encontra em Gênesis 2:7, caso digite alma e não apareça nada, tente jogar a palavra no original, copiando da internet, por exemplo, neste caso seria "לְנֶ֥פֶשׁ", se ainda assim não aparecer nada, tente digitar a palavra transliterada, caso saiba, neste caso seria "nephesh", neste caso deu certo, mas nem sempre você terá êxito, porém, com o tempo você irá aprendendo a manusear tanto este recurso quanto os outros.

É isso ai, agora é só partir para os estudos!

Compartilhe para ajudar a outros irmãos!

segunda-feira, 24 de julho de 2017

UM FILHO DE DEUS PODE SE SENTIR UM FILHO DA IRA?



Quando sentimos Deus presente em meio aos nossos sofrimentos somos capazes de passar e enfrentar o que for, quer sejam adversidades, angustias, tribulações, doenças e etc., pois sabemos que Ele é conosco e independente do que for, nEle teremos força para prosseguir. Mas e quando a situação muda? E quando estamos em meio a terríveis provações e ao invés de sentirmos a mão de Deus nos consolando e nos dando forças para prosseguir, sentimos como se o próprio Deus além de nos estar rejeitando, está nos esmagando com Suas próprias mãos? E o pior é quando isso acontece quando estamos levando uma vida de santidade e obediência a Palavra dEle, rejeitando o pecado e se sujeitando a pessoa de Cristo. Será que isso é possível? Será que é possível um verdadeiro eleito de Deus se sentir um vaso de desonra e destinado a ira, mesmo não sendo? Bem, por pior que isso possa parecer para alguns cristãos, isso não somente é possível como também ocorre na vida de muitos santos ao longo da história. Um deles é o salmista do Salmo 88. O Salmo 88 é conhecido como o Salmo mais triste da bíblia, diferente de outros Salmos, este Salmo não termina com nenhuma nota de esperança ou livramento da parte de Deus, a última palavra deste Salmo é “trevas”, o salmista termina dizendo que todos os seus amigos e companheiros o haviam abandonado, e que sua única companhia eram as trevas (Sl 88:18). Este é o único salmo em todo o saltério que termina desta maneira.

Talvez alguns digam: “ah, certamente o salmista estava sendo afligido por Deus por causa de algum pecado que ele havia cometido.” – Certamente o salmista era um pecador diante de Deus, assim como qualquer outro homem (Rm 3:23), porém, a palavra “pecado” não aparece em nenhum lugar neste Salmo, diferente de outros salmistas que atribuem a causa de seus sofrimentos a algum pecado que haviam cometido (vide Sl 51, Sl 25:7, Sl 32 e etc), o salmista do Salmo 88 em momento algum diz que a causa de seus sofrimentos advinham de algum pecado que ele havia cometido contra Deus. E aqui vale ressaltar que nem todo sofrimento na vida de um filho de Deus é consequência do pecado, muitos cristãos ao verem outro irmão ser afligido por algum motivo, ao invés de consolá-lo e usarem de misericórdia, já se aproximam com 5 pedras na mão, dizendo que tal sofrimento advêm de algum pecado do mesmo, foi assim que os amigos de Jó fizeram (Jó 4:1 – 7:21) e é assim que muitos ainda fazem nos dias de hoje. Os discípulos de Jesus ao encontrarem um homem cego de nascença, perguntaram: "Mestre, quem pecou: este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego?" (João 9:2), Jesus os respondeu dizendo: "Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele.” (João 9:3). “Amai-vos uns aos outros” (Jo 13:34), é o que Deus nos instrui a fazer.

O salmista não estava simplesmente passando por uma faze ruim que durava somente alguns dias, muito pelo contrário, ele diz que as angústias e aflições que o afligiam o acompanhavam desde sua mocidade (Sl 88:15), eram sofrimentos que vinham o acompanhando por toda a sua vida, dia após dia. Dia e noite ele clamava a Deus por socorro (v.1), e além de não receber nenhum tipo de socorro da parte de Deus, ou de sequer ter suas orações ouvidas, ele diz que durante toda a sua vida, o único sentimento que sente vindo da parte de Deus é o seu furor, ele ainda diz: “Puseste-me no abismo mais profundo, em trevas e nas profundezas...  tu me afligiste com todas as tuas ondas... (Salmos 88:6-7).

Que terrível experiência é esta! A de ser um verdadeiro filho de Deus, de levar uma vida no centro de Sua vontade, e ainda assim sentir o céu fechado sobre sua cabeça, e a ira de Deus sobre os seus ombros. Jó também experimentou isso, mas diferente de Jó, o salmista não vislumbrou nenhum tipo de livramento da parte de Deus, e provavelmente ele foi alguém que viveu toda a sua vida debaixo destes conflitos, mesmo sendo um homem temente a Deus. Não sabemos exatamente a identidade deste salmista, sua autoria é incerta. Sobre isto, o rev. Augustus Nicodemus diz o seguinte: “O Salmo diz que ele foi escrito por Hemã, o Ezraíta, e diz que ele era dos filhos de Corá. Os filhos de Corá eram uma das famílias de Levi que serviam a Deus no templo, eles eram levitas que ministravam louvor a Deus no templo, com isto, vemos que este Hemã era alguém consagrado a Deus e temente a Deus. As atribuições do salmo diz que se trata de um salmo didático, ou seja, foi algo que ele escreveu para ensinar, então, era alguém maduro o suficiente para entender que a experiência dele poderia ajudar outras pessoas, e ele escreveu um salmo para ajudar outras pessoas, para ensinar outras pessoas que estariam passando pelo mesmo sofrimento que ele passou.” Ele diz ainda: “No livro de 1 Rs 4:31 está escrito que Salomão era mais sábio que todos os homens, mais sábio do que Etã, ezraíta, e mais sábio do que Hemã. E se este Hemã se tratar do mesmo Hemã do salmo 88, só existia um homem mais sábio que ele, o rei Salomão¹”. Veja também 1 Cr 2:6.

Não sabemos a causa exata do sofrimento deste homem de Deus, certamente, por se tratar de um levita que servia a Deus no templo, seu sofrimento não estava relacionado com a lepra, como alguns dizem, do contrário, ficaria impedido de ministrar no santuário, como os versos do 10-12 dão a entender que ele fazia, pois, mesmo em meio a tamanho sofrimento e se sentindo como alguém que havia sido rejeitado por Deus, ao dizer que se via como alguém que estava contado entre os mortos (v. 3-6), ainda assim ele louvava a Deus, falava de Sua bondade, Suas maravilhas e Sua justiça (v. 10-12), e questionava a Deus dizendo, que se ele fosse contado a morte e viesse a descer a sepultura, que proveito Deus poderia ter nisso? Visto que os mortos não o poderiam louvar. Vemos com isto que, mesmo o salmista se sentindo afligido pelo próprio Deus e debaixo do seu furor, ainda assim ele O louvava e proclamava a Sua justiça diante dos homens. Que maravilhoso exemplo!

Matthew Henry diz o seguinte sobre isso: “As primeiras palavras do salmista são as únicas de consolo e sustento deste salmo. Deste modo, os bons podem ser muito afligidos, podem chegar a ter pensamentos desanimadores sobre as suas aflições, e chegar a conclusões sombrias sobre o seu final, pela força da melancolia e fraqueza da fé. Queixa-se principalmente do desagrado de Deus. Até mesmo os filhos do amor de Deus podem pensar, às vezes, que são filhos da ira, e que nenhum problema exterior pode ser tão difícil para eles como este.²”

William MacDonald diz o seguinte em seu comentário: “E assim termina o mais triste dos salmos. Para aqueles que não entendem a razão para esse salmo ter sido incluído na Bíblia, leiam o testemunho de J. N. Darby. Em certo momento difícil de sua vida, ele declara que esse foi o único texto da Escritura que o ajudou, pois percebeu que alguém havia enfrentado tristeza tão profunda quanto ele. Clarke cita, de uma fonte desconhecida: ‘Há apenas um salmo como esse em toda a Bíblia, apresentando uma experiência tão rara; porém, trata-se do único salmo que assegura ao aflito mais desesperado que Deus não o abandonará³’”.

Este salmo foi escrito por um verdadeiro servo de Deus, que durante toda a sua vida experimentou momentos de extremas angustias e terríveis aflições, e cremos que é exatamente por isso que este salmo se encontra nas Escrituras. Deus nunca nos enganou, o cristianismo que é apresentado por ai, que diz que se você vier para Cristo todos os seus problemas serão resolvidos e você levará uma vida livre de adversidades, é um cristianismo falso. A bíblia é muito honesta, ela relata os sofrimentos daqueles que aceitaram a Cristo, que caminham com Deus, e que de fato pertencem a Ele e que mesmo assim não são poupados de sofrerem neste mundo. Jesus disse: “No mundo tereis aflições...” – Mas também disse: Tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33)

Que Deus em Cristo, através do sEu Espírito, nos ajude a concluir a honrosa e nobre missão de sofrer pelo sEu nome.

¹ - Parte extraída de uma mensagem do rev. Augustus sobre o salmo 88, na primeira igreja presbiteriana de Goiânia.
² - Texto extraído do comentário bíblico de Matthew Henry sobre o salmo 88
³ - Texto extraído do Comentário Bíblico popular do Antigo Testamento, de William MacDonald, ed. Mundo cristão, pag. 461

Por Hamilton Fonseca

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Em vão vigiam, se o SENHOR não guarda



“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” Salmos 127:1

Muitas pessoas estão fazendo de suas casas verdadeiros presídios, por medo da violência. Fortunas são gastas com a construção de muros, torres, cercas elétricas e etc. Nações inteiras tem gasto rios de dinheiro para reforçarem os seus exércitos com o receio de uma guerra iminente. O pânico tem falado tão alto no coração de alguns, que muitos sequer saem de casa com medo de serem assaltados, mortos ou feridos física/emocionalmente de alguma maneira. E a pergunta que fica é: de que isto tem adiantado?

“Fortalezas” são invadidas e saqueadas diariamente. Casas e condomínios, por mais seguros que pareçam ser, estão sendo arrombadas e saqueadas todos os dias, de forma que não é preciso sair de dentro de casa para se tornar uma vitima deste mundo cada vez mais corrompido e depravado. Uns tem buscado forças em cavalos, outros, em cavaleiros, e o temor ao SENHOR tem sido deixado de lado.

Em vão edificam casas, se o SENHOR não as edifica. Em vão vigiam, se o SENHOR não guarda. Não temam o mundo e o que nele há. “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno.” (Mt 10:28)

Que a nossa segurança não venha estar em muros ou fortalezas, em carros ou em cavalos, mas no SENHOR. Que nossas palavras venham refletir as do salmista: “Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.” (Sl 91:2)

Salmos 121

1 Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro?
2 O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra.
3 Ele não permitirá que você tropece; o seu protetor se manterá alerta,
4 sim, o protetor de Israel não dormirá, ele está sempre alerta!
5 O Senhor é o seu protetor; como sombra que o protege, ele está à sua direita.
6 De dia o sol não o ferirá, nem a lua, de noite.
7 O Senhor o protegerá de todo o mal, protegerá a sua vida.
8 O Senhor protegerá a sua saída e a sua chegada, desde agora e para sempre.

Por Hamilton Fonseca

quinta-feira, 8 de junho de 2017

TUDO POR JESUS, NADA SEM JESUS!



”E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” At 4:12
Não há outro nome pelo qual devamos ser salvos. Somente o nome de Jesus tem o poder de reconciliar o homem com Deus. Somente em Jesus temos salvação. Não existe outro caminho, não existem atalhos, não existe nada fora de Cristo que nos leve a Deus.
Solus Christus – Da mesma forma que não existe salvação fora de Jesus, também não existe outro mediador entre Deus e o homem que não seja Jesus: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.” I Tm 2:5.
Não devemos dirigir as nossas orações/adorações a nenhum outro que não seja Deus, e só devemos nos achegar a Deus através de Jesus Cristo, e nenhum outro. Pois não existe salvação fora de Jesus, e não existe outro mediador entre Deus e os homens que não seja Jesus. Nem Maria, nem Pedro, nem Paulo, nem ninguém, só Jesus Cristo.
A Jesus Cristo, e somente a Jesus Cristo, seja a honra e a glória, para sempre e sempre, amém!

Por Hamilton Fonseca