segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

JESUS CRISTO, A EXEGESE DE DEUS



"Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou." Jo 1:18

Quando queremos descobrir qual era a intenção e o significado original pretendido em um texto, fazemos um estudo cuidadoso e sistemático por meio da exegese; examinamos a fundo o seu sentido, com o fim de extrairmos o máximo de conteúdo possível da intenção original do autor no texto. Da mesma forma, a expressão e definição exata do Ser de Deus só pode ser encontrada em Jesus Cristo, foi isso o que João quis dizer no capítulo 1 do seu evangelho, mais precisamente no verso 18.

O apóstolo diz que o Pai foi revelado no Filho; a palavra "revelou" nesta passagem, na língua original, é "exegeomai", de onde vem a palavra exegese. Em outras palavras, João estava dizendo que Jesus era a Exegese de Deus. Como bem disse M. Henry:

"Ele (Jesus Cristo) declarou de Deus o que nenhum homem tinha visto ou conhecido em nenhum momento; não só o que estava escondido de Deus, mas o que estava escondido em Deus."

Jesus era a expressão de Deus de tal forma, que era capaz de dizer: "Quem me vê a mim vê o Pai." (Jo 14:9)

Jesus Cristo foi o Deus que se fez homem e habitou entre nós! (Jo 1)

Os fariseus não puderam O deter (bem que tentaram), os saduceus, muito menos; a cruz foi só uma vírgula; Ele morreu, mas ressuscitou; e na sua ascensão foi colocada uma reticências, pois...

"Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir." - A respeito disso: "Maranata!" (At 1:9; Ap 22:20)

"Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.

ELE É O RESPLENDOR DA SUA GLÓRIA e a REPRESENTAÇÃO EXATA DO SEU SER, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder e tendo feito a purificação dos nossos pecados, assentou-se à direita da Majestade nas alturas." Hb 1:1-3

Nisto se ouve o eco da reforma: Solus Christus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário